segunda-feira, 14 de maio de 2007

Regas em orquídeas

Crescimento, desenvolvimento e produtividade de uma planta é o resultado da interação, do componente genético + temperatura + nutrientes minerais + luz + água, ou seja, a combinação específica destes fatores proporcionando resultados peculiares.
O fornecimento correto de água, por meio da irrigação, é um dos componentes chaves do sistema de Manejo Integrado de Pragas (MIP) na agricultura, onde a prevenção dos problemas é prioridade, e se dá de maneira mais científica possível, pois a disponibilidade e absorção de água são determinantes para a boa disponibilidade e absorção de nutrientes minerais do substrato pelas raízes, com efeito, direto, também, na suscetibilidade à ocorrência de doenças nas plantas.Irrigação, no conceito mais moderno, é o fornecimento de quantidades adequadas de água às culturas, com o objetivo de produzir com uma maior eficiência agrícola, ambiental e social. Logo, não é só jogar água na planta. Tem todo um "pacote" que vem junto.
Sabemos que o mecanismo de absorção de água pelas raízes e seu movimento no interior dos vasos condutores das plantas, das raízes até as folhas mais distantes, se dá por diferença de potencial hídrico. Assim, o caminho mais fácil da água percorrer é: a partir do substrato, entrar nas raízes, passando pelo corpo da planta até ser liberada na atmosfera pelas folhas ou outros órgãos que transpiram por meio dos estômatos. Quanto mais quente for a atmosfera e, no geral, a tendência é ser menos saturada de água, fazendo assim com que a planta retire mais água do substrato e libere na atmosfera. Acontece que, ao longo da evolução, algumas orquídeas, estrategicamente, se tornaram capazes de diminuir significativamente a perda de água durante o dia, quando ocorreriam as maiores perdas, desenvolvendo o mecanismo fotossintético do tipo MAC (metabolismo ácido das crassuláceas).
Nesse mecanismo, os estômatos são abertos e as trocas gasosas se dão à noite, ainda assim num período reduzido dela, perdendo assim menores quantidades de água por unidade de tempo.Este mecanismo é comum para boa parte das orquídeas em nossas coleções. As orquídeas com as folhas mais suculentas têm uma forte tendência a serem MAC (semelhante aos cactos, suculentas e algumas bromélias), sendo então que a eficácia das regas depende dos substratos chegarem úmidos no período noturno, onde a absorção se daria de fato, em boa parte dos casos.Portanto, essa evidências apontam que é melhor molhar as plantas no período da tarde, por volta das 16h ou 17h, porque assim os seus substratos ainda estariam molhados durante a noite e, também, permaneceriam com boa umidade na manhã seguinte, onde as outras, que não são MAC (são as C3), se beneficiariam da água no substrato durante o dia.
O objetivo disso é evitar ao máximo a permanência de água em excesso no substrato e, principalmente, na superfície das folhas e flores. O excesso evaporaria com maior facilidade durante o resto do dia, o que é determinante na prevenção de doenças foliares fúngicas, uma vez que a presença de um filme d’água na superfície é condicionante para a germinação dos esporos fúngicos.






As orquídeas, geralmente, em condições naturais se encontram em microclimas de atmosferas mais úmidas, seja em altitudes mais elevadas, encostas mais úmidas ou a beira de rios. Dificilmente estas plantas serão encontradas em situações em que a água acumule nas raízes, portanto, instalá-las em substratos e recipientes com a melhor drenagem possível (foto abaixo, fundo do vaso quebrado com esta finalidade) é uma medida que proporciona controle maior da quantidade de água no vaso. Vale lembrar que o efeito do excesso de água é, geralmente, mais drástico do que eventualmente não molhá-las em alguma ocasião de maior necessidade, principalmente para as epífitas, que exigem boa aeração nas raízes.

16 comentários:

Gustavo disse...

Boa matéria e blog, parabéns!!
quando der de um pulinho no meu!!

abraço

Fran Carvalho disse...

Olá Marcos...
Gostaria de uma dica, pois faz pouco tempo que estou cultivando orquideas, e gostaria de saber algumas especies mais comuns, quais são c3 e qual é mac.
Aguardo sua ajuda.
Obrigado

tatinha disse...

Olá Marcos,
Preciso de uma dica eu ganhei duas orquideas, uma dendrobium e uma Phalaenopsis, elas estão com flores, acredito que só posso trocar os vasos depois que não tiver mais flores, correto e outra dúvida a primeira está ficando com as folhas amarelas, somente os galhos que estão com flores, o que devo fazer? Quando eu fizer a troca devo colacar terra junto pois nos vasos quase não tem.

n_beijaflor disse...

Tenho várias PHALAENOPSIS tem uma que está com flores e as suas folhas estão muito moles, a outra a folha está ficando amarela até a raiz.
Gostaria de saber o que fazer.

Marilia disse...

Olá,
Estou desenvolvendo um sistema de nebulização para um orquidário, e as informações que tenho encontrado sobre os niveis de umidade necessários ao cultivo estão muito divergentes. Você poderia me indicar uma fonte para obter esses dados?
A proposito muito legal o seu blog, me ajudou muito!!

Obrigada

Dasso disse...

Olá,Marcos
Parabéns pelo site. Em Itapeva (SP), estamos projetando a criação de um orquidário em um parque público. Vc pode me ajudar com orientação técnica para a definição da planta?
Obrigado pela atenção.
Davidson Panis Kaseker

Anônimo disse...

olá Marcos!
Já tem algum tempo q cultivo orquideas e pouca delas dâo flores.
Eu molho elas de cinco e cinco dias e de trinta em trinta dias eu passo uma vitamina nelas q se chama de 202020.elas estaolindas estao cheias de brotos mas nao dâo flores!
me ajude por favor!
e elas estao plantadas no vaso de barro com pau podre e xaxim!

michelle marim disse...

oi marcus tenho uma orquidea que esta numa situação precaria era da minha prima mas ja estava um horror gostaria que vc me ajudasse plantei ela em um vaso de madeira nao sei se esta correto gostaria que vc me endicasse o que devo fazer o vaso que tenho que usar e o adubo ,,,meu email é esse michellekakemarim@hotmail.com
desde ja agradeço

Kleber Krenski disse...

Ola sou novato nesse assunto, eu ganhei 5 mudas de orquideas dentro de vasos mas não sei que espécies são. Gostaria que me ajudasse, se posso trocar de vaso, que tipo de substrato devo usar, qual adubo, se posso deixar pegar sol, etc...
Esse é meu email: krenskidasilva@hotmail.com
Obrigado.

carolina disse...

ganhei uma orquídea(daquelas brancas e tradicionais) e replantei num vaso de barro. coloquei num lugar claro, porem sem luz direta na lateral da casa. Em maio de 2011 ela produziu um galho de flores enorme , que durou ate dezembro, quando morreu... Isso e normal? Quanto tempo dura a floração da orquídea?

Anônimo disse...

Achei dubia sua colocação sobre fungosXumidade.
É claro e lógico que se as plantas permanecerem úmidas pela noite inteira facilita a proliferação de fungos. Plantas que são MAC em nosso meio ambiente são poucas, sendo elas apenas as de regiões secas, como Walkerianas, Nobilior, Mesquitae.... Orquideas como Schileriana, Guttata e outras mais populares entre os orquidófilos necessitam de uma adubação no período de sol, preferencialmente ao meio dia para que o pico de fotossintese auxilie no desenvolvimento da planta.
É muito comum ver coleções amadoras CHEIAS DE FUNGOS por ser adubadas no periodo noturno.

Marcus V. Locatelli disse...

"Anônimo", as cattleyas são MAC (inclusive guttata e schilleriana). Não é tão claro e lógico plantas serem infectadas por fungos de noite, pois alguns esporos para germinarem precisam, além da água nas folhas, de luz, então nos horários que antecedem a noite há maiores riscos, então o buraco é mais embaixo. Você deve estar confundindo fungo em decorrência da adubação com algas e liquens nas superfícies das folhas, o que só acontece em regiões serranas, de clima úmido, e de fato adubações direcionadas as folhas pioram o problema.

PATRICIA SCHMIDT disse...

Oi Marcooooooooss, bom dia.
Rapaz preciso urgente de sua ajuda.
Minha orquídea de terra q não seio nome, cresceu a haste , e brotou, mas estão caindo todos antes de florescer, eu a pus pra dentro de casa perto da janela, onde tem luz e outras orquídeas tbm. Estou muito triste :( por favor em ajude, pois acabei de pulverizar com óleo de nem.

Adriano Santos disse...

Bom dia Marcos ... minha esposa tem uma dendrobium ja esta com 65 cm esta com 4 anos e nunca floriu ...
abc´s
Adriano locateli

Eduardo disse...

Olá Marcos, parabéns e obrigado pelo blog. Você mencionou que existem orquídeas C3 e MAC. Esse tipo de metabolismo está vinculado ao ambiente, sua umidade, pressão etc. - podendo a planta em um dia mais seco se comportar como MAC e em uma semana chuvosa se comportar como C3 - ou a fisiologia celular não permite esse intercâmbio, sendo exclusivamente MAC ou C3? Há alguma forma de identificar a forma de metabolismo "lendo" a planta? Ou é determinado por gênero? Se houver bibliografia que puder indicar, muito agradeço.
Obrigado!

Eduardo disse...

Olá Marcos, se puder responder mais uma, agradeço!
Quanto tempo leva para os nutrientes que estão no velame serem transportados até as folhas? Depende de condições ambientais? Como se dá mais precisamente esse transporte dos nutrientes, do velame para a raiz e então para o restante da planta?
Obrigado!