segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Interpretação de ambientes e ecologia de orquídeas

Esta é uma linha de pesquisa que vem me despertando muito interesse.

Fascinante como juntando informações de solos, geologia, climatologia, fitogeografia, fitofisionomia, fisiologia vegetal e até mesmo história (sociologia), pode-se chegar exatamente ao ponto de ocorrência das espécies de orquídeas, em lugares imagináveis para um leigo até então.

Tenho feito algumas observações ao longo desse tempo de mestrado, quando fui adquirindo mais conhecimento para tratar desses assuntos, algumas delas estão prestes a se tornarem artigos em revistas científicas, agora o período de inscrição do doutorado vem aí, estou querendo continuar...

Mas só tenho coragem de expor tais informações em lugares mais restritos, revistas científicas indexadas e palestras, por exemplo, uma vez que estas informações trazem consigo um poder de destruição muito grande nas mãos daqueles de pior intenção, não por acaso que estes mesmos geralmente não se preocupam em investir em palestras e ir à biblioteca universitária mais próxima para consultar os periódicos indexados.

O objetivo deste post é mais uma crítica aos botânicos que vem fazendo levantamentos florístico por aí, sem a preocupação de juntar outras informações, o que acarreta em trabalhos absolutamente vagos.

Existe até mesmo um projeto de repercussão digamos até nacional que vem tratando de levantar a ocorrência de algumas espécies de orquídeas ameaçadas, com um gasto fenomenal de energia e recursos financeiros o pessoal dele sai por aí dando palestras em associações e coletando informações a respeito da ocorrência destas espécies, o que é uma pena, pois se não empregarem mais ciência no final ter-se-á uma série de trabalhos vagos.

Falta um pouco de visão holística de muitos "cientistas" para entenderem que a biologia só é explicada pela química, e esta por sua vez pela física, que por sua vez explica-se pela matemática. A matemática talvez tenda à divindade, uma vez que é a mãe de todas as ciências, de todo conhecimento, não em vão, que muitos dos grandes cientistas ao longo da história da humanidade tinham Deus mais no sentido de uma Ordem ou Razão Universal, "O Grande Matemático", com toda minha limitação de imaginação, penso que só fizeram o que fizeram, carregaram a humanidade nas costas num salto de conhecimento, justamente pela percepção ampla que possuíam.


A biologia precisa de não "biólogos" para evoluir, integrar conhecimento, avançando então tende a se tornar uma ciência exata.


Ecologia é coisa séria, embora venha sendo sub utilizada por pseudo-ecologistas estereotipados, rebeldes sem causa, e sem ciência.


Vejam mais sobre este assunto em Os novos naturalistas, do Ítalo Rocha Guedes e Evolução humana e pedologia, do Carlos Pacheco, ambos colegas e grandes amigos de conversa fiada sobre ciência.


Alguns slides da minha palestra:

































Um comentário:

Consultora Educacional disse...

Gosto muito dos artigos de seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver meu Curso de Informática online.Emily Nascimento